sexta-feira, 6 de julho de 2012

[me roubaram uns dias contados]

alguns dias são melhores que outros. nenhuma noite é igual. há sempre o silêncio e a hora de parar. por enquanto sigo. em que lugar? não sei. não sei para onde vou. eu moro em você. tenho orgulho disso porque vejo em você as vitórias que não tive. sou amargo às vezes. não tenho tanto amor próprio assim. com meu dente, se foi minha vaidade. meus cabelos brancos estão nascendo no peito. estão subindo. logo estarão na minha barba. no meu cabelo ralo. estou envelhecendo. os dias se assomam. as noites me entristecem. 

do livro: me roubaram uns dias contados, pq 147, de rodrigo de souza leão.

Um comentário: