sexta-feira, 10 de abril de 2015

Meus maiores arrependimentos


Dia desses durante minhas navegações no facebook, me bati com um post do Brasil Post que me refletir um pouco; A publicação era sobre o ensaio da fotógrafa Alecsandra Raluca Dragoi, uma romena erradicada em Londres e se você quiser vê-la completa, clique aqui

Ela ficou fascinada com uma questão que tortura muita gente: Qual o seu maior arrependimento? Então, com uma câmera na mão e alguns desconhecidos escolhidos, ela destacou, através de suas fotos, a profundidade da tragédia, da nostalgia e até mesmo do bom humor. 

Assim como a fotógrafa ficou fascinada por essa questão, eu também fiquei e comecei a pensar, depois de tanto tempo, quais eram os maiores arrependimentos.

Não lembro exatamente quando adquiri uma consciência do que era arrependimento e do quanto ele pode ser, muitas vezes, dolorido. Sei que, em 29 anos de vida fiz uma coleção deles e se fosse para colocar tudo em apenas um post, eu iria escrever pelo resto da minha vida e vocês iriam se arrepender de começar a ler esse post. 

Mas, alguns me torturam até hoje e – infelizmente – são deles que quero falar, porém são os que me ajudaram a crescer, de alguma forma.

1 – Eu me arrependo de não ter dito a minha mãe que a amava mais vezes. 
Há cinco anos, na madrugada de uma quarta para quinta-feira, minha mãe passou mal em casa, eu não sabia muito o que estava acontecendo, lembro que ela saiu da cama correndo até o sofá da sala reclamando de dores fortes no peito. Naquele mesmo dia, a pedido dela, fui trabalhar. Algumas horas depois ela havia falecido. 

Meu relacionamento com a minha mãe nunca foi dos melhores, acredito que a diferença de idade – mais de 40 anos – atrapalhava bastante, apesar disso aprendi muita coisa com ela e a pessoa que sou hoje devo a tudo que ela me ensinou. Porém, posso contar com os dedos quantas vezes disse que a amava. Se eu soubesse que ela morreria aquele dia, eu teria feito isso. 

2 – Eu me arrependo de nunca ter pedido perdão a minha sobrinha mais velha. 
Alguns meses depois que a minha mãe morreu, minha sobrinha mais velha também se foi e foi muito impactante para minha família. Assim como minha mãe, eu e Vanessa não tínhamos o melhor relacionamento do mundo; brigávamos muito, discutíamos por bobagem e assim foi durante nossa adolescência e vida adulta. 

Quando ela se foi, doeu muito, percebi que tinha perdido minha melhor amiga.  

Na verdade, uma ferida foi reaberta, nunca me perdoei por não ter pedido desculpas por todas as vezes que agi feito uma imbecil. 

3 – Eu me arrependo de ter entrado na faculdade tarde. 
Eu sei que nunca é tarde demais quando se quer aprender algo. Terminei o ensino médio aos 16 anos, mas estou muito distante de ser uma garota prodígio. Só consegui entrar na faculdade 8 anos depois e eu tinha plenas faculdades mentais que poderia SIM ter entrado antes e quem sabe a minha história seria diferente, ou não. FYI: Ainda continuo estudando. 

4 – Eu me arrependo de não ter assumido o meu cabelo e a minha cor antes. 
Eu alisava o cabelo desde os sete anos, porque para mim, mulher só era bonita se tivesse cabelo lindo e fosse branca. Eu demorei muito tempo para ter consciência da minha negritude e do meu cabelo, para ser mais exata demorou mais de 20 anos. 

5 – Eu me arrependo de ter perdido a pureza do meu coração no meio desse caminho tortuoso chamado vida. 
Eu costumava ser uma pessoa de coração puro, mas a vida me ensinou que em algum momento, o qual você não sabe exatamente quando, ser puro de coração só vai te fazer levar umas boas pancadas na cara. Talvez, ainda tenha um pouco dessa pureza, mas ela já não é mais presente como antes e isso me machuca. 

6 – Eu me arrependo de ter dito sim quando na verdade a resposta era não. 
Não é uma palavra tão poderosa e libertadora quando dita na hora certa, pois é até hoje eu não sei quando é essa resposta que preciso dá para alguém. Infelizmente, tenha essa síndrome de querer agradar a gregos e troianos e quem acaba perdendo nessa história sou eu. 

7 – Eu me arrependo de não ter acreditado em minha capacidade quando deveria. 
Perdi muita coisa, muitas oportunidades por achar que não era capaz de alguma coisa, acabei perdendo a confiança em mim. 

8 – Eu me arrependo de não dedicar tempo suficiente para minha escrita. 
Sempre amei ler e escrever, quando eu tinha 16 anos, resolvi que me tornaria escritora e que iria deixar a minha marca no mundo com meus escritos, mas o tempo foi passado e muita coisa me desanimou – vide esse post – muita coisa me deixou triste e me abatei muito. Comecei a colocar outras prioridades em minha vida, a escrita nunca foi uma delas. 

Existem outros, mas como falei antes, eu poderia passar horas e horas escrevendo-os até o momento em que iria me arrepender de ter começado, coisa que já está começando. Por favor, não fiquem tristes com o que irão ler, só quero que vocês pensem que: arrependimento irá sempre existir, alguns serão mais duradouros que outros e alguns a gente não pode simplesmente voltar atrás. 

O meu conselho é: pegue aqueles os quais você pode lidar, relembre-os, tire algum aprendizado, peça desculpas – no caso de ter magoado alguém – e faça diferente da próxima vez. Arrependimento serve para isso, afinal de contas, para você aprender com seus próprios erros.

Na vida temos um segredo inconfessável, um arrependimento irreversível, um sonho inalcançado e um amor inesquecível. – Diego Marchi.

5 comentários:

  1. Cah,

    não se arrependa. Você deu o seu melhor. Ok, as coisas não saíram como você queria, mas isso te ensinou uma série de coisas que são válidas e que você não teria aprendido se a sua vida fosse outra. É impossível ter uma vida perfeita que agrade a todos ao nosso redor e que agrade a nós mesmos em 100% do tempo.

    Pegue todos os aprendizados e pense em quem gostaria de ser na velhice. Aproveite a energia da juventude e corra atrás disso. :)

    Te amo e te acho perfeita com todas essas neuroses!
    hehehehe
    Um beijo,

    Algumas Observações
    Minhas Literariedades
    Teoria, Prática e Aprendizado

    ResponderExcluir
  2. O arrependimento faz parte da vivência, mas o importante é nos lembrarmos e seguirmos em frente.
    Entregue seus arrependimentos a Deus e não se prenda à esses sentimentos.
    Bj e fk c Deus.
    Nana
    http://procurandoamigosvirtuais.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. http://bonitaadventista.com.br/fracassei-mas.html

    ResponderExcluir
  4. Também me arrependo de não ter entrado na faculdade mais cedo :/

    http://gotasdecaffe.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir